Pesquisar este blog

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

MULHER É ESPANCADA EM MACEIÓ APÓS DIZER QUE NÃO VOTARIA EM BOLSONARO.

Julina Rezende, de 38 anos, ia votar na Escola Municipal Padre Pinho quando foi abordada por dois homens e uma mulher.

Uma mulher denunciou eleitores do candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, após ter sido agredida por dizer que não votaria no presidenciável. O caso, que ocorreu no bairro Cruz das Almas, em Maceió, foi denunciado na manhã deste domingo (7/10). 

Juliana Rezende, de 38 anos, ia votar na Escola Municipal Padre Pinho quando foi abordada por dois homens e uma mulher. Eles estavam dentro de um carro preto, com adesivos pró-Bolsonaro quando perguntaram: 'E aí, é 17?'. Em seguida, a mulher respondeu que iria votar no 12, número do candidato Ciro Gomes, do PDT. 

"Eles desceram do carro e começaram a me agredir, me esmurraram, depois desceu uma mulher e também me agrediu. Depois eles pegaram o carro e foram embora", relatou.