segunda-feira, 26 de julho de 2021

HUMILDE ARENA (ASSIM É UMA PARTIDA DE FUTEBOL NOS MAIS LONGICOS RINCÕES)

 


Manhã de domingo, um campinho pequeno, quase coberto de mato, mal dá pra ver ás listas da marcação quando existe, humilde arena futebolista. 

Os atletas, começam a chegar de todos os lados. Não só os jogadores, mas, os treinadores, os agricultores, os religiosos, os sindicalistas, crianças e até donas de casa. 
O campinho, é lugar de encontro de todas às pessoas, de todas às classes. Os protagonistas do grande evento, uns descalços, outros de chuteiras. Os times, um de camisa e o outro sem. O árbitro, um homem forte, bigode esticado, voz grossa. Pobre árbitro, de futebol só conhece a bola e as traves.
Tempo de jogo, se for de manhã, vai ter bola rolando até meio-dia, se for a tarde, o jogo se estende até escurecer e ninguém conseguir a enxergar mais nada. Intervalo nem pensar. O placar, 10 x 10; 5 x 5; 0 x 0...
Só o futebol, tem a magia, de guiar os homens para um só destino: A vitória.
APOIO


Pesquisar este blog