terça-feira, 21 de setembro de 2021

COLUNA DO JOÃO PAULO

HOJE VAMOS FALAR SOBRE O DIA DA ÁRVORE

O Dia da Árvore é comemorado no dia 21 de setembro. Esta data foi escolhida por anteceder o início da primavera no Hemisfério Sul, que dependendo do ano, pode ocorrer entre os dias 22 e 23 de setembro. As árvores fazem parte da nossa história, desde o descobrimento até os dias atuais. Uma importante e antiga relação é com o próprio nome do país, originário da espécie Pau-brasil (Paubrasil echinata). Outras espécies representaram importantes ciclos econômicos, como por exemplo o ciclo do Cacau (Theobroma cacao) e o ciclo da borracha (Hevea brasiliensis).

A maior e mais significativa importância das árvores é a ambiental, pois são organismos essenciais para o equilíbrio do planeta, desempenha, aumento da umidade do ar, maior controle das chuvas, qualidade da água dos mananciais, controle de erosão, manutenção da biodiversidade, além de produzirem frutos, sementes, madeira, resinas e outros produtos. 

A presença das árvores no meio urbano é muito recente, eram vistas apenas como elementos integrantes das florestas. A arborização urbana e sua evolução teve seu início e desenvolvimento por volta do século XV na Europa, sendo que sua prática se tornou comum a partir do século XVII, através da iniciativa pioneira das cidades de Londres e Paris, com seus Squares e Boulevars. 

No Brasil, a primeira cidade a dispor de arborização de rua foi Recife, no século XVII. Já nos séculos XVIII e XIX, na cidade do Rio de Janeiro iniciaram-se marcos fundamentais do paisagismo brasileiro como o Jardim botânico e o Campo de Santana. Em São Paulo, os destaques são Jardim da Luz e Avenida Paulista. Inúmeras são os benefícios da arborização urbana, os principais são: melhoria da qualidade do ar; redução dos níveis de ruído; redução da ilhas de calor; proteção/alimentação da avefauna; redução do escoamento superficial. Alguns estudos citam ainda benefícios indiretos como a redução da obesidade em áreas mais arborizadas e até mesmo o menor custo de reparos no asfalto em áreas sombreadas por árvores. 

Sabendo de tudo isso, por que então o convívio com a árvore no meio urbano é tão conflitante? Vários são os pontos de conflito, como a falta de um plano de manejo eficiente para a arborização; escolha de espécies arbóreas sem potencial de uso urbano, redes de distribuição de energia onde se limita o uso de árvores de podas drásticas, uso de mudas de baixa qualidade, entre outros.

O sucesso de um plano de arborização ocorre quando há o envolvimento do setor público, privado e a população local. E com a criação de normas que estimule a arborização de forma eficiente; a criação de programas de educação ambiental que promova o convívio harmônico da população com as árvores; e aplicação o principio da educação ambiental, onde qualquer agressão ou intervenção deve ser avaliada, dimensionada e necessariamente compensada por medidas reparadoras na proporção direta do dano causado, ou a causar. 

"O homem toma conhecimento da sua própria personalidade quando procura unir-se o mais possível a natureza". 
(Teilhard de Chardin)

.

 

Pesquisar este blog