domingo, 5 de setembro de 2021

FEIRA LIVRE

CRÔNICA DOS MEUS SENTIMENTOS

Há um bom tempo atrás, nos dias de Domingo se tinha um belo atrativo. A feira livre do Alto de São Francisco. Eu sempre costumava ir acompanhado de meu pai. E íamos a pé mesmo, a felicidade era tanta que nem se notava a distância. Na feira quanta animação, um povo simples sem nenhuma modernidade, mas, que se respeitavam. Me recordo da banda do quebra-queixo e bolinhos de goma. A vendedora, uma senhora alta, muito simpática, de nome Mariquinha. Às bodegas mais frequentadas, eram a se seu Zé Faustino, que também tinha a banca de jogo do bicho e a de seu Mané Figueiredo, onde tomávamos o melhor refresco da região. Infelizmente, às coisas boas, às vezes se acabam. E foi o que aconteceu com a tão boa e saudosa feira do Alto de São Francisco. Mas, quem sabe um dia pelo os caprichos do destino, não teremos de volta a feira livre de nossa Vila. No momento só restou às lembranças recheadas de saudades.
"ATÉ BREVE"

Pesquisar este blog