Pesquisar este blog

terça-feira, 30 de julho de 2019

O GOVERNADOR DE SÃO PAULO "DORIA" DIZ QUE FALA DE BOLSONARO SOBRE DESAPARECIDO NA DITADURA É 'INACEITÁVEL.

Presidente disse nesta segunda que contaria a Felipe Santa Cruz, da OAB, como o pai desapareceu durante o regime militar.
O governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB), considerou como 'inaceitável' e 'infeliz' a fala do presidente Jair Bolsonaro (PSL) sobre o pai do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, desaparecido durante a ditadura militar.

Bolsonaro disse nesta segunda-feira (29/7) que 'um dia' contará ao presidente da OAB como o pai do jurista desapareceu na ditadura militar, caso a informação interesse ao filho.

Em coletiva de imprensa, Doria disse que não poderia se calar sobre a fala.

"Eu sou filho de um deputado cassado pelo golpe de 64 e eu vivi o exílio com o meu pai que perdeu quase tudo na vida em dez anos de exílio pela ditadura militar. Inaceitável que o presidente da república se manifeste da forma como se manifestou em relação ao pai do presidente da OAB, Felipe Santa Cruz. Foi uma declaração infeliz do presidente Jair Bolsonaro".

O presidente deu a declaração ao comentar o desfecho do processo judicial que considerou Adélio Bispo, autor da facada em Bolsonaro durante a campanha eleitoral, inimputável (isento de pena devido a doença mental). Por isso, ele ficará em um manicômio em vez de um presídio.

Antes de falar sobre o pai de Santa Cruz, Bolsonaro criticou a atuação da OAB no caso de Adélio Bispo e perguntou qual era a intenção da entidade. Segundo o presidente, a ordem teria impedido o acesso da Polícia Federal ao telefone de um dos advogados do autor da facada.

Segundo Bolsonaro, Santa Cruz, "não vai querer saber a verdade" sobre o pai, Fernando Augusto de Santa Cruz Oliveira, que desapareceu no período na ditadura militar (1964-1985).
Fonte: G1.