terça-feira, 30 de março de 2021

IBIRAJUBA-PE: JOVEM ESTÁ DESAPARECIDA.

A Jovem é conhecida como LUANA e se encontra desaparecida desde as 17:00 horas desta segunda-feira (29/3), deste então a família e amigos não teve mais contado com ela.

Com a ver, encontrar a jovem, favor entrar em contado pelas nossas redes sociais. Ligue para Delegacia de Ibirajuba (87) 3794-1109, ou pelo telefone da família (87) 9.8804-3902.
 

COMANDANTES DAS FORÇAS ARMADAS COLOCAM CARGOS À DISPOSIÇÃO

A articulação dos comandantes já é lida em Brasília como um recado de que as Forças não aceitariam ser usadas por Bolsonaro em qualquer iniciativa golpista.
Leal Pujol (Exército); Ilques Barbosa (Marinha); Antônio Carlos Bermudes (Aeronáutica). 

Os comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica devem colocar seus cargos à disposição do novo ministro da Defesa, general Walter Braga Neto, em uma reunião prevista para o começo da manhã desta terça (30/3) na Esplanada dos Ministérios. 

A decisão dos militares teria sito tomada em uma reunião realizada nessa segunda-feira (29/3). Eles querem acompanhar a saída do general Fernando Azevedo da pasta, demitido pelo presidente Jair Bolsonaro nesta segunda após seguidas negativas de apoio político ao governo federal.

Azevedo caiu após o limite da relação com o Chefe do Poder Executivo Federal ser atingido, quando Bolsonaro voltou a insinuar que queria o apoio do Exército para aplicar medias de exceção como o estado de defesa em estados e municípios que adotaram lockdowns ou quarentenas rígidas na tentativa de conter os avanços dos números da pandemia de covid-19.

Se Edson Leal Pujol (Exército); Ilque Barbosa (Marinha) e Antônio Carlos Bermudez (Aeronáutica), saírem junto, o fato será inédito e pode gerar um crise ainda maior entre as Forças Armadas e o Palácio do Planalto. Para tentar aplacar o comando militar, o novo ministro da Defesa que convencer Barbosa e Bermudez a ficaram, pelo menos, por ora.

Braga Netto não aposta no convencimento de Pujol, porque ele é o único cuja permanência não é especulada por ninguém, dado o grau de animosidade entre ele e Bolsonaro, que em 2020 ensaiou demitir o general.

Nos corredores de Brasília, parlamentares e membro do governo já leem a articulação dos comandantes como um recado de que as Forças querem dar a Braga Netto de que não aceitariam ser usadas por Bolsonaro em qualquer iniciativa golpista. A crise acontece à véspera do aniversário de 57 anos do golpe de 1964.
Fonte: JC.

segunda-feira, 29 de março de 2021

MINISTRO DA DEFESA PEDE DEMISSÃO DO GOVERNO BOLSONARO.

Depois de uma reunião com o presidente Bolsonaro, no começo tarde desta segunda-feira (29/3), o ministro da Defesa, anunciou que entregou o cargo no governo Federal. Porém a imprensa frisa que foi o presidente Bolsonaro que pediu o cargo.

Fontes do Palácio do Planalto afirmam que outras mudanças podem ainda ser anunciadas hoje.

Segundo o general, existe a possibilidade de o atual da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, ir para o comando da Defesa, o que poderia abrir espaço para o cargo de articulação.
Fonte: NE10/Blog do Jamildo.

ÚLTIMOS DIAS PARA A CRIAÇÃO DO CONSELHO DE ACOMPANHAMENTO E CONTROLE SOCIAL DO FUNDEB.

Ainda que o mandato do Conselho esteja vigente, deverão ser realizadas novas eleições até o dia 31 de março de 2021.
Reportagem: Laísa Lopes
Ouça a Reportagem
Dirigentes Municipais de Educação devem ficar atentos ao prazo de instituição dos Conselhos de Acompanhamento e Controle Social (Cacs) do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). 

Para 2021 todos os Cacs devem ser criados, por novas eleições, até 31 de março, ainda que tenham vigência superior a esse período, deve ser constituído um novo a partir deste novo Fundeb. É importante considerar que não é proibida a indicação de membros que já participaram em outros mandatos, no entanto a mera recondução aos cargos não é possível. 

Antes, o mandato dos membros dos Cacs Fundeb era de dois anos. Agora, os membros poderão permanecer nas funções pelo mandato de quatro anos, sendo proibida a reeleição ou nova indicação para o próximo. 

O acesso pelas secretarias de educação ocorre por meio de senha fornecida pelo Atendimento Institucional do FNDE (0800 616161). Já a consulta aos dados dos Conselhos do Fundeb está disponível a todos os cidadãos, sem necessidade de senha, no site do FNDE, nas opções Financiamento / Fundeb / Consultas / Cadastro dos Conselhos / Consulta ao Cadastro dos Conselhos de Acompanhamento e Controle Social do Fundeb.
Fonte: Brasil 61.

PARA OBTER APOIO DO GOVERNO FEDERAL, MUNICÍPIOS DEVEM DECRETAR ESTADO DE CALAMIDADE PÚBLICA.

Ação de distribuição de alimentos (ADA) será realizado pelo Ministério da Cidadania nas localidades com decretos de Situação de Emergência (SE) ou Estado de Calamidade Pública (ECP).
Reportagem: Alan Rios
Ouça a Reportagem.
O Ministério da Cidadania promove a distribuição gratuita de Cestas de Alimentos para minimizar os impactos econômicos da pandemia. Os municípios que desejam solicitar o apoio da pasta devem apresentar decretos de Situação de Emergência e Estado de Calamidade Pública. 

Os decretos devem estar vigentes e serem reconhecidos pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec/MDR). As normas fazem parte da Portaria 618/2021, que traz a obrigatoriedade da declaração de calamidade pública para recebimento da Ação de Distribuição de Alimentos (ADA). 

A política é voltada para indígenas, quilombolas e beneficiários do Cadastro Único para Programas Sociais, através de parceria com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). 

Para participar, o município deve se cadastrar no Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2ID), para análise e reconhecimento federal. Após esse procedimento, o processo pode retornar para o município, com a solicitação de eventuais correções, como o acréscimo de documentos obrigatórios, por exemplo.
Fonte: Brasil 61

CORTE DE ENERGIA POR INADIPLENCIA ESTA SUSPENSO ATÉ O MÊS DE JUNHO.

Reportagem: Laísa Lopes.
Ouça a notícia.
A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu, na sexta-feira (26/3), suspender o corte de energia dos consumidores de baixa renda, por inadimplência, em todo o Brasil. A medida vale até 30 de junho para os consumidores da tarifa social de energia elétrica, contemplando aproximadamente 12 milhões de famílias. 

A tarifa social é uma política pública que concede descontos na conta de luz para as famílias de baixa renda. Com ela, o consumidor recebe um abatimento mensal que varia de acordo com a tabela de consumo. 

Têm direito ao desconto as famílias inscritas no Cadastro Único com renda mensal menor ou igual a meio salário-mínimo por pessoa ou famílias com portador de doença que precise de aparelho elétrico para o tratamento - nesse caso, com renda mensal de até três salários-mínimos. Também têm direito às famílias com integrante que receba o Benefício de Prestação Continuada. 

Também está vedado o corte de energia de unidades consumidoras com equipamentos vitais à preservação da vida e dependentes de energia elétrica, além de unidades de saúde, a exemplo de hospitais e centros de produção, armazenamento e distribuição de vacinas.
Fonte: Brasil 61.

sábado, 27 de março de 2021

UM HOMEM FOI ASSASSINADO NA ZONA RURAL DE IBIRAJUBA-PE.

VÍTIMA
Um homicídio ocorreu no final da tarde desta sexta-feira (26/3) no Sítio Minduri zona rural da cidade de Ibirajuba-PE; no agreste de Pernambuco. 

A vítima Jerson Correia de Barros, de 57 anos, agricultor que residia no local onde ocorreu o crime.

Segundo as informações, Jerson estava no curral cortando palma, quando os assassinos usando mascaras já chegaram atirando contra a vítima, que não teve tempo de reagir e foi alvejado várias vezes. O SAMU foi acionado mais ao chegar no local já encontraram a vítima sem vida.

Os criminosos não foram identificados, após o crime fugiram tomando destino ignorado. Até o momento não se sabe os motivos do crime.

Moradores do local disseram que a vítima era bastante querida na comunidade, não tinha inimizades, não era envolvido em coisas erradas, e os familiares informaram que ele não tinha recebido nenhuma ameaça.

O corpo foi encaminhado para o IML de Caruaru, e o caso será investigado pela Delegacia de Polícia Cívil de Ibirajuba-PE.

sexta-feira, 26 de março de 2021

VEJA COMO FICAM ATIVIDADES E SERVIÇOS EM PERNAMBUCO NO NOVO PLANO DE CONVIVÊNCIA COM A COVID-19, A PARTIR DE 1° DE ABRIL.

Pernambuco entra em 1° de abril no novo Plano de Convivência com a Covid-19. O anúncio foi feito pelo governador do Estado, Paulo Câmara, em pronunciamento nessa quinta-feira (25/3).

A instauração do "novo normal" começa imediatamente ao fim da quarentena mais rígida, que foi prorrogada até 31 de março.

O novo Plano de Convivência prevê as regras até o dia 25 de abril, um domingo. até lá, atividades econômicas poderão reabrir das 10 horas às 20 horas nos dias de semana e da 9 horas às 17 horas aos sábados e domingos e feriados.

Praias poderão voltar a ter atividades físicas individuais e as aulas presenciais serão liberadas em 5 de abril, após o feriadão da Páscoa.

Igrejas e atividades religiosas poderão ocorrer entre 5 hs e 20hs (oito da noite), durante e semana e nos finais de semana e feriados. Os mesmos horários valem para academias e serviços de alimentação (bares, restaurantes e lanchonetes).

O plano de Convivência considera os feriados da Sexta-Feira da Paixão, em 2 de abril, e de Tiradentes, em 21 de abril. Nesses dias, valem as regras de fim de semana.

VEJA OS DETALHES DO NOVO PLANO DE CONVIVÊNCIA COM A COVID-19 EM PERNAMBUCO.

Academias e similares
- Suspensos até 31 de março.
- 1° a 25 de abril: abrem de 5 às 20 horas durante a semana e de 5 horas às 17 horas aos finais de semana e feriados com 30% da capacidade.

Serviços de alimentação.
- Suspensos até 31 de março;
- 1° a 25 de abril: abrem de 5h às 20h durante a semana e de 9h às 17h aos finais de semana e feriados com 50% da capacidade.
- Delivery, drive trhu e ponto de coleta podem seguir funcionamento após as 20h durante a semana e depois das 17h aos finais de semana.

Ciclofaixas destinadas a atividades de lazer ou recreativas
- Suspensas até 31 de março
- Liberadas a partir de 1° de abril

Clubes sociais, esportivos e agremiações
- Suspensos até 25 de abril

Comércio varejista - Centro e bairros
- Suspensos até 31 de março, segue apenas com delivery
- 1° a 25 de abril: abrem de 10h às 20h durante a semana e de 9h às 17 h aos finais de semana e feriados
- 1 cliente a cada 10m² para circulação e 1 cliente a cada 5m² para lojas.

Competições e práticas esportivas coletivas, profissionais ou voltadas ao lazer.
- Suspensas até 25 de abril.

Escolas e universidades públicas e privadas.
- Suspensas até 31 de março
- 1° a 25 de abril: abrem de 6h às 22h durante a semana e de 9h às 17h aos finais de semana e feriados com 50% da capacidade
- Liberação vale para Superior, Médio, Fundamental I e II Infantil.

Escritórios comerciais e prestação de serviços
- Suspensos até 31 de março
- 1° a 25 de abril: abrem de 10h às 20h durante a semana e de 9h às 17h aos finais de semana e feriado com 50% da capacidade
- Estação de trabalho devem ter 1,5 metros de distanciamento entre si.

Eventos corporativos, sociais e culturais
Suspensos até 25 de abril

Igrejas e atividades religiosas
- Suspensas até 31 de março
- 1° a 25 de abril: abrem de 5h às 20h durante a semana e de 9h às 17h aos finais de semana e feriados com 30% de capacidade e limite máximo de 100 pessoas.

Museus, cinemas e teatros
- Suspensos até 25 de abril

Praias marítimas e fluviais, inclusive calçadões, parque e praças.
- Fechadas até 31 de março e reabrem em 1° de abril    
- Proibido uso de guarda-sol e cadeiras e proibidas a comercialização de bebida e comidas.

Shoppings centers e galerias comerciais
- Suspensos até 31 de março
- 1° a 25 de abril: abrem de 10h às 20h durante a semana e de 9h às 17h aos finais de semana e feriados.
- 1 cliente a cada 10m² para circulação e 1 cliente a cada 5m² para lojas.

BUTANTAN ANUNCIA VACINA PRÓPRIA CONTRA COVID, COM PRODUÇÃO 100% NACIONAL.

Instituto vai pedir hoje à Anvisa autorização para realizar testes em humanos. Tecnologia será a mesma da vacina da gripe. 
O Instituto anunciou a criação da BUTANVAC, nova candidata a vacina contra a Covid-19, e disse que pedirá autorização à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ainda nesta sexta-feira para iniciar os estudos clínicos em voluntários.

• Os testes podem começar em abril se a Anvisa autorizar;
• A fabricação começa em maio, e 40 milhões de doses estarão disponíveis a partir de julho, mas dependem de aval da Anvisa para serem usadas.
• A tecnologia é a mesma da vacina da gripe;
• A vacina já leva em contra a variante brasileira, a P1
• A promessa é a de que a vacina produza uma resposta imune maior que as vacinas atuais. 

"Protocolaremos esse material ainda hoje e vamos dialogar intensamente com a Anvisa para que ela perceba a importância da autorização no início desses estudos clínicos o mais rapidamente possível, para que possamos em um mês e meio, dois meses e meio, terminar essa fase de avaliação clínica e iniciar a produção", afirmou o diretor do Instituto, Dimas Covas. 

A expectativa do Instituto é a de, uma vez obtida a autorização, os testes possam ser realizados já em abril.

O governador de São Paulo, João Doria, disse que autorizou o início da produção em maio. Entretanto, as doses só poderão ser usadas após liberação da Anvisa.
Fonte: G1

quinta-feira, 25 de março de 2021

3 PESSOAS MORRERAM E OUTRAS VÃO PARA FILA DE TRANSPLANTE, APÓS FAZEREM USO DO KIT COVID.

Medicamentos sem eficácia contra o vírus, como ivermectina e hidroxicloroquina, trazem riscos de efeitos colaterais, vendas dessas drogas subiu até 557%.
O uso do chamado kit covid, que reúne medicamentos sem eficácia contra a doença, mas que continua sendo prescrito por alguns médicos e propagandeado pelo presidente Jair Bolsonaro, levou cinco pacientes à fila do transplante de fígado em São Paulo e está sendo apontado como causa de ao menos três mortes por hepatite causada por remédios, segundo alguns médicos. 

Quatro dos cinco contaminados foram atendidos no Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (HC-USP), mas dois deles morreram antes da cirurgia. O quinto paciente foi tratado no Hospital das Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (HC-Unicamp). As biópsias de fígado das cinco vítimas comprovam que as complicações no órgão foram causadas por medicamentos e não pelo novo coronavírus. 

Luiz Carneiro D’Albuquerque, chefe de transplantes de órgãos abdominais do HC-USP e professor da universidade, diz que os exames no fígado mostram lesões compatíveis com hepatite medicamentosa. “Vemos que esses remédios destruíram os dutos biliares, que é por onde a bile passa para ser eliminada no intestino.” 

De acordo com Carmen Valente Barbas, pneumologista do HC-USP e do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, muitos de seus pacientes atuais afirmam que tomaram medicamentos do kit Covid. A maior ressalva dos médicos quanto a essas drogas são os efeitos colaterais, principalmente entre aqueles que desenvolvem sintomas graves da Covid-19 e já estão com os órgãos comprometidos. 

Além da hepatite medicamentosa, os profissionais de saúde começaram a observar outros danos no organismo de pacientes que usaram o kit Covid, como hemorragias, insuficiência renal e arritmias. “Esses remédios não ajudam, não impedem a intubação e trazem efeitos colaterais, como hepatite, falha renal, infecções bacterianas, diarreia, gastrite… E a interação entre eles pode ser perigosa”, destaca Carmen. 

Ederlon Rezende, coordenador da unidade de tratamento intensivo (UTI) do Hospital do Servidor Público do Estado, em São Paulo, enfrenta dificuldades com pacientes que precisaram ser sedados e acordaram com confusão mental maior que o normal. A condição é acentuada pelo uso excessivo de ivermectina antes da internação. 

Segundo Rezende, ao acordar da intubação, o paciente pode apresentar delírio. Isso é muito frequente em doentes com Covid-19, porque o vírus atravessa a barreira hematocefálica e causa inflamação no cérebro ao afetar sua região frontal. “A ivermectina é uma droga que penetra no cérebro quando ele está inflamado. Ela deprime ainda mais o órgão e piora a qualidade do despertar de um paciente intubado”, explica. 

A hidroxicloroquina, outro remédio do kit Covid, também pode ser uma inimiga da recuperação, uma vez que pode causar arritmia cardíaca. Em pacientes com sintomas graves de Covid-19, a doença afeta o coração, causa inflamação do músculo cardíaco e trombose em vasos e tecidos — o que fica ainda pior com o uso do medicamento. 

Uma pesquisa recente da Fiocruz Amazônia com a Universidade Federal do Amazonas (Ufam) em Manaus verificou que as taxas de infecção por Covid-19 foram maiores em pacientes que afirmam ter tomado medicamentos preventivos. Segundo os pesquisadores, isso ocorreu porque quem estava tomando os remédios do kit acreditava que não precisava se prevenir. 

Esse é, inclusive, um dos principais problemas encontrados pelas UTIs: os doentes que chegam lá, acreditam estar protegidos pelos medicamentos e procuram ajuda tarde demais. “Alguns prefeitos distribuíram kit Covid. Os mais crédulos achavam que tomando aquilo não pegariam Covid-19 e demoraram para procurar assistência quando ficaram doentes”, diz Carlos Carvalho, diretor da Divisão de Pneumologia do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (Incor-HC), em São Paulo. 

Além disso, ele avalia que a falta de organização central e as informações desconexas sobre medicação sem eficácia contribuíram para a letalidade maior na nossa população. “Não vou dizer que representa 1% ou 99% [das mortes], mas contribuiu.” 

Para muitos especialistas, a defesa e a utilização do kit Covid desvia os recursos financeiros que poderiam ser usados na compra de vacinas, no financiamento de pesquisas e na adoção de tratamentos eficazes. Um levantamento da BBC News Brasil aponta que os gastos do governo com cloroquina, hidroxicloroquina, Tamiflu, ivermectina, azitromicina e nitazoxanida chegaram a cerca de R$ 90 milhões até janeiro.
Fonte: Olhar Digital.

RETOMADA DA OPERAÇÃO CARRO-PIPA FEDERAL.

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) efetivou nesta quarta-feira (24/3) a descentralização de R$ 62,46 milhões para o Ministério da Defesa (MD), com o objetivo de retomar a execução da Operação Carro-Pipa (OCP) federal em toda a região rural do Semiárid
o. 

Nos meses de janeiro e fevereiro, a Pasta, por meio da Defesa Civil nacional, conseguiu realizar o repasse emergencial de R$ 89,7 milhões, que foram descentralizados ao Exército Brasileiro (EB) - responsável direto pela execução do serviço. Porém, o retardo na aprovação do Projeto de Lei Orçamentária Anual 2021 (PLOA) pelo Congresso Nacional desencadeou a paralisação temporária do serviço. 

Com a aprovação do PLN 1/21 no Congresso Nacional, no dia 17, e com a publicação da Lei 14.127, de 22 de março, foi ampliada a execução orçamentária provisória para este ano, abrindo crédito extraordinário para a retomara da OCP Federal em sua integralidade. 

Fruto da mútua cooperação técnica e financeira entre o MDR e o MD, a OCP federal abrange os estados do Nordeste e parte de Minas Gerais e Espírito Santo. No ano de 2020, a média mensal de atendimento foi de cerca de 2 milhões de pessoas em 600 municípios. Uma média de 4,2 mil carros-pipa foram contratados por mês. No total, foram investidos R$ 603 milhões para o serviço.

GOVERNADOR DE PERNAMBUCO PRORROGA QUARENTENA EM PERNAMBUCO ATÉ 31 DE MARÇO.

O governador de Pernambuco Paulo Câmara anuncia, em um pronunciamento nesta quinta-feira (25/3), que o Estado vai estender a quarentena mais rígida até o próximo dia 31 de março.

Assim, Pernambuco completará 14 dias seguidos de medidas restritivas em todo o território.

Na mesa fala o governador comunicará ainda que já a partir do dia 1° de abril será colocado em prática um novo plano de convivência com a a pandemia da Covid-19, com regras válidas até o dia 25 de abril.

O governador Paulo Câmara detalhou como ficam setores com as novas medidas, em abril, depois da fase de quarentena de 14 dias.

As atividades econômicas poderão reabrir das 10 horas às 20 horas nos dias de semana, e das 10 horas às 17 horas aos sábados, domingos e feriados.

As praias voltarão a ter atividades físicas individuais permitidas.

A volta às aulas estará liberada a partir do próximo dia 5 de abril, para a rede privada e para o ensino médio da rede estadual.

O governador esclareceu também que as celebrações religiosas poderão voltar a acontecer, desde que obedecendo aos protocolos e horários pré-estabelecidos.

O governador disse que a flexibilização das restrições não significam que a pandemia foi superada em Pernambuco.

"Pelo Contrário, temos um caminho longo pela frente até a superação total desse flagelo. Todos já sabemos quais são as atitudes que permitem conviver com a doença. Faça a sua parte, use máscara e oriente as pessoas que estejam relaxando nos cuidados básicos", advertiu Paulo Câmara, acrescentando que considera o atual momento decisivo na luta contra a doença, que já dura mais de um ano.
Fonte: NE10/Blog do Jamildo.

TREZE CIDADE DE PERNAMBUCO ADOTAM MEDIDAS MAIS DURAS DO QUE A QUARENTENA ESTADUAL, PARA CONTER A COVID-19.

Treze cidades do Sertão pernambucano iniciaram nesta quarta-feira (24/3), em comum acordo, um período de lockdown mais rígido do que a quarentena decretada pelo governo do estado. Até domingo, nem mesmo os bancos, os supermercados e as padarias poderão abrir ao público em Afogados da Ingazeira, Brejinho, Carnaíba, Iguaracy, Ingazeira, Itapetim, Quixaba, Santa Terezinha, São José do Egito, Sertânia, Solidão, Tabira e Tuparetama. Juntas, as localidades somam 2.847 casos e 44 mortes pela Covid-19. Durante este período, a vigilância será reforçada nas zonas rurais e urbanas para evitar desrespeito às normas, com atenção especial para festas e eventos clandestinos em propriedades mais afastadas no campo. 

Segundo o presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), José Patriota, o lockdown foi definido após reunião entre os prefeitos e o Ministério Público de Pernambuco. "Chegou-se à conclusão que os números são alarmantes, bastante preocupantes. O Hospital Regional de Afogados está com 100% dos leitos ocupados e o índice de contaminação nas cidades é muito alto, superior à média do estado", destacou em entrevista. "Não restava alternativa, porque a vacina tem andado muito devagar", acrescentou. 

Durante o lockdown, poderão abrir apenas farmácias, postos de combustíveis e serviços de saúde de urgência. Supermercados, mercados e padarias só poderão funcionar por delivery. 

“Os casos da Covid-19 em nosso município estão controlados, mas não podemos fechar os olhos para o que está acontecendo no estado, pois dependemos dos serviços hospitalares da região e estamos preocupados com a situação, que é assustadora. Era necessário esse entendimento conjunto. Foi uma decisão difícil, são medidas duras, mas que, infelizmente, temos que tomar agora para preservar vidas”, destacou o prefeito de Sertânia, Ângelo Ferreira. O município é o único do Sertão do Moxotó a aderir à medidas. Os demais ficam no Pajeú. 

Segundo Ferreira, quem descumprir as regras estará sujeito a medidas de responsabilização no âmbito administrativo, cível e criminal. A fiscalização ficará por conta da Polícia Militar, Polícia Civil, Vigilância em Saúde, Procon e Guarda Civil Municipal. 

“Sabemos que o decreto é bastante restritivo, mas tem como objetivo evitar um colapso no sistema de saúde. Não queremos que sertanienses morram sem que tenham acesso ao atendimento médico no tratamento da Covid. Estamos vivendo um período difícil e que pede a colaboração e compreensão de todos. Pedimos aos donos de estabelecimentos e aos demais cidadãos que obedeçam às determinações. Esse é um momento em que é preciso que cada um faça sacrifícios. Ficar em casa é o melhor para a segurança e saúde da população. O que importa é a vida e isso não tem preço”, afirmou o prefeito.
Fonte: Diário de Pernambuco.

quarta-feira, 24 de março de 2021

PSB ENVIA AO SUPREMO ACUSAÇÃO CONTRA BOLSONARO POR HOMICÍDIO NA PANDEMIA.

 A ação enviada ao presidente do STF, ministro Luiz Fux, faz um histórico dos atos de Bolsonaro desde o início da pandemia. 
Parlamentares do PSB protocolaram uma ação na manhã desta quarta-feira, (24/3), no Supremo Tribunal Federal (STF), contra o presidente Jair Bolsonaro, na qual acusam o presidente dos crimes de homicídio por omissão e prevaricação em ações de combate à pandemia da covid-19. 

A ação enviada ao presidente do STF, ministro Luiz Fux, faz um histórico dos atos de Bolsonaro desde o início da pandemia, em março do ano passado, com intuito de demonstrar as diversas situações em que o presidente não só minimizou os riscos à população do novo coronavírus, como também retardou a compra de vacinas oferecidas ao País, ainda no ano passado, o que poderia ter acelerado o processo de imunização e, assim, evitado milhares de mortes. 

Além de afirmar que não compraria a vacina Coronavac, desenvolvida pelo Instituto ButantAN, em parceria o laboratório Suinovac, Bolsonaro reteve a aquisição das vacinas Pfizer, sob o argumento de que as cláusulas do contrato - que já tinham sido aceitas por diversos países - não interessavam ao governo brasileiro. A situação levou o próprio presidente mundial da Pfizer a declarar que havia oferecido o imunizante ao Brasil, mas que o governo Bolsonaro atrasava a aquisição e não se posicionava a respeito. 

A Pfizer fez a primeira oferta em 14 de agosto de 2020, e a proposta previa a entrega de 500 mil doses já em dezembro de 2020, e o restante dos 70 milhões até junho de 2021. Nada ocorreu. Somente na última sexta-feira, 19, o governo formalizou a assinatura de contratos com as farmacêuticas Janssen e Pfizer para o fornecimento de 138 milhões de doses de vacinas contra covid-19, quando o Brasil já contava com 294.042 mil mortos e quase 12 milhões de infectados. 

No Brasil, a primeira vacina só foi aplicada no dia 17 de janeiro, com a Coronavac, após uma iniciativa do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que em junho do ano passado fechou um acordo com a farmacêutica chinesa Sinovac. 

Os parlamentares afirmam, na ação de "notícia crime", que Bolsonaro incorreu em crime de homicídio por omissão imprópria. Os crimes omissivos impróprios - também conhecidos como crimes omissivos impuros e espúrios - são aqueles em que o governante tinha o dever jurídico de agir, mas não fez o que deveria ter feito. "Na presença de tais circunstâncias, verifica-se que o omitente tinha a real possibilidade de agir, ou seja, poder para executar a ação exigida, caracterizando, portanto, a conduta omissiva", declaram, na ação. 

Bolsonaro também é acusado de prevaricação, crime que está previsto no Código Penal. "A configuração do crime de prevaricação requer a demonstração não só da vontade livre e consciente de deixar de praticar ato de ofício, como também do elemento subjetivo específico do tipo, qual seja, a vontade de satisfazer interesse ou sentimento pessoal", afirmam. Os parlamentares do PSB pedem o conhecimento da ação, com a posterior remessa à Procuradoria-Geral da República (PGR), para apuração dos crimes. 

A ação é assinada pelos deputados Elias Vaz (GO), Alessandro Molon (RJ), Denis Bezerra (CE), Lídice da Mata (BA), Camilo Capiberibe (AP), Bira do Pindaré (MA), Vilson Luiz da Silva (MG), Aliel Machado (PR) e Gervásio Agripino Maia (PB). 

Como mostrou reportagem do Estadão, Bolsonaro é alvo de recorde de pedidos de investigação levados à PGR. O número de representações contra o presidente já é maior do que o total das que tiveram os ex-presidentes Michel Temer e Dilma Rousseff. 

Os pedidos para a PGR investigar presidentes bateram recorde na gestão de Jair Bolsonaro. Foram 93 representações registradas desde a posse, em 2019, segundo dados obtidos pelo Estadão por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI). O número supera a soma do que foi apresentado contra Dilma Rousseff (36) na reta final de seu governo e toda a gestão de Michel Temer (53). Em comum está o fato de a maior parte das apurações ter parado no arquivo antes mesmo de se tornar um inquérito.
Fonte: Notícias ao Minuto.

CANTOR BATISTA LIMA DEMITE TODOS OS SEUS FUNCIONÁRIOS.

*Imagem: Divulgação Internet.
O cantor Batista Lima, anunciou a demissão de todos os seus funcionários. Por meio de vídeo publicado na terça-feira (23/3), o artista explicou suas decisões. 

“Desabafo em um dia triste”, legendou Batista Lima na publicação. “Infelizmente, depois de tanta luta, tanta batalha (…) eu tive que demitir os meus funcionários com muita dor no coração”; inicia. 

O artista ainda agradece a compreensão dos membros da equipe e diz que espera encontrá-los futuramente. “É mais uma banda que tem que demitir seus funcionários. Não pela minha vontade, foi totalmente contra a minha vontade. Mas infelizmente tivemos que fazer isso”, lamenta.

Batista Lima pediu orações para profissionais do ramo do entretenimento, que foram afetados pela pandemia de Covid-19. Ele conta que abriu mão de sua empresa, dos seus funcionários e questiona os governantes. 

“Nós estamos abrindo mão de tudo o que a gente construiu durante anos. (…) E vocês, políticos, estão abrindo mão de que?”, perguntou Batista Lima.
Fonte: NE10/Blog Social 1.

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL PEDE A ARAS QUE PROCESSE CRIMINALMENTE BOLSONARO POR MÁ GESTÃO DA PANDEMIA.

A OAB imputa ao presidente os crimes de perigo para a vida ou saúde de outrem, infração de medida sanitária preventiva, emprego irregular de verbas ou rendas públicas e prevaricação.
Conselho Federal da Ordem dos Advogados (OAB) do Brasil enviou representação ao procurador-geral da República, Augusto Aras, pedindo que o presidente Jair Bolsonaro seja denunciado ao Supremo Tribunal Federal e responda criminalmente pela "péssima gestão" da pandemia da covid-19. A OAB imputa ao presidente os crimes de perigo para a vida ou saúde de outrem, infração de medida sanitária preventiva, emprego irregular de verbas ou rendas públicas e prevaricação. 

Em documento datado desta terça-feira, 23, a entidade de advogados lista atitudes e posturas do presidente diante da pandemia, como o incentivo ao uso de medicamentos que não tem eficácia cientificamente comprovada contra a covid-19 e a posição contrária ao isolamento social. 

O crime de prevaricação atribuído a Bolsonaro se dá em razão da "evidente a gestão criminosa da crise sanitária" causada pelo novo coronavírus. A OAB ressalta a ineficiência e o despreparo da gestão federal da pandemia, lembrando ainda que pesquisas indicam que é "possível se falar em intencional omissão estatal". 

A representação diz ainda que elementos que caracterizam a prevaricação - "retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal" - podem ser. 

Observados na "péssima gestão" do governo na compra das vacinas "em virtude de atritos e divergências político-ideológicas, em prejuízo da saúde e da vida de todos os brasileiros".
Fonte: Notícias ao Minuto.

OPORTUNIDADES: HOSPITAL MIGUEL ARRAES ABRE SELEÇÃO PARA CONTRATAR 100 PROFISSIONAIS DA ÁREA DE SAÚDE.

 Selecionados trabalharão no leitos de UTI e enfermaria da covid-19.
Hospital Miguel Arraes (HMA), em Paulista, na Região Metropolitana do Recife, abriu uma seleção simplificada para contratar 100 profissionais de saúde. Os selecionados trabalharão nos leitos de UTI e enfermaria voltados para paciente de covid-19. 

Há vagas para médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares de farmácia e fisioterapeutas. 

Dez novos leitos foram abertos para pacientes com a doença. Mais 20 leitos devem começar a funcionar em breve na UTI-Covid, e também uma enfermaria com 14 leitos.

COMO SE INSCREVER
Os médicos interessados em se inscrever devem enviar o currículo para o e-mail hma.direcao@hma.fpmf.org.br.

Os demais deve cadastrar os currículos no site da Fundação Professor Martiniano Fernandes. Clique aqui .
Fonte: NE10

PARA ESVAZIAR CRÍTICAS, BOLSONARO INCLUI 1° ESCALÃO EM REUNIÃO DOS TRÊS PODERES.

*Imagem Ilustrativa.
A mudança de última hora no formato da reunião do Palácio da Alvorada com os presidentes dos três poderes causou contrariedade entre autoridades do Legislativo e do Executivo.

O presidente Jair Bolsonaro se reúne na manhã desta quarta-feira (24/3) com chefes de poderes, ministros e governadores para discutir medidas de combate à pandemia. Inicialmente, só os presidentes dos três poderes, o procurador-geral da República, Augusto Aras, e o vice-presidente do TCU, Bruno Dantas, participariam do encontro.

A avaliação é que o presidente Jair Bolsonaro colocou na mesa todo o seu primeiro escalão para criar um ambiente de dispersão e, assim, diluir críticas e sair do foco das cobranças na reação a pandemia da Covid-19 por parte dos presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, Senado Federal, Rodrigo Pacheco, e Câmara dos Deputados, Arthur Lira

Nesta terça-feira (23/3), o presidente aumentou a lista dos participantes da reunião e inclui ministros, governadores e até o ex-ministro da Saúde general Eduardo Pazuello.

"O presidente viu que seria emparedado numa reunião mais restrita e decidiu colocar uma tropa de choque para diluir a reunião" disse uma autoridade do Legislativo que participou das tratativas do encontro.

Para esvaziar a reunião, o presidente Bolsonaro também mudou na véspera o comando do Ministério da Saúde e deu uma posse escondida para Marcelo Queiroga. Bolsonaro seria cobrado pela transição demorada na pasta no momento mais grave da pandemia.

Ao mesmo tempo, numa resposta antecipada, Bolsonaro fez na noite desta terça-feira (23/3) um pronunciamento para falar do cronograma de vacinação no país, com distorções e omissões, e não citou os movimentos do governo para recusar e dificultar a aquisição de vacinas em 2020.

Autoridades do legislativo e do Judiciário receberam com preocupação o gesto explícito do presidente Jair Bolsonaro de estimular aglomerações no domingo (21/3).

A ação foi considerada um movimento claro do presidente para inviabilizar a articulação entre os poderes, a qual visa estabelecer uma espécie de pacto nacional de enfrentamento à pandemia da Covid-19 no Brasil.
Fonte: G1/Blog do Camarotti.

domingo, 21 de março de 2021

LUTO: CALOU-SE A REGUENGUELA. MORREU O RADIALISTA IVAN BULHÕES.

Foram mais de 60 anos de profissão, divulgando a Cultura Nordeste através do rádio, o que lhe rendeu o título de O Rei do Forró de Caruaru.
• 12.03.1930
+ 20.03.2021
Morreu na noite deste sábado (20/3) na cidade Caruaru-PE, com a idade de 91 anos, o radialista Ivan Fernandes Bulhões (IVAN BULHÕES). Ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital da Unimed desde o dia 5 de março, após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

O comunicado de seu falecimento foi através de Nota da Rádio Liberdade de Caruaru onde o comunicador tinha contrato vitalício. 

Programas como Aquarela Nordestina, Hora da Justa entre outros, e os bordões "Vai Começar a Reguenguela do Horário"; "Dez e quaraquaquá, quaraquaquá depois das dez"; "Beijinhos nas Crianças"; eram marcas registradas do grande alagoano nascido em 12 de março de 1930, ele veio para o recife e estava em Caruru desde 1962.   

O comunicador também criou a "Caravana de Ivan Bulhões" que juntava vários artistas de Caruaru, e percorria diversas cidades, fazendo shows e circos, e praças públicas.

Ivan Bulhões estava afastado dos microfones desde o dia 5 de julho de 2017, quando sofreu uma queda em casa e fraturou o fêmur. Ele passou pelas Rádio Cultura do Nordeste; Rádio Difusora (Atual Rádio Jornal) e atualmente era contrato pela Radio Liberdade a atuou nos últimos 25 anos. 

Nota da Rádio Liberdade de Caruaru.
"É com enorme pesar que a Rádio Liberdade de Caruaru comunica o falecimento do nosso eterno comunicador Ivan Fernandes de Bulhões. Funcionário Vitalício, Ivan Bulhões levou alegria, informação e forró para as casa de milhares de pernambucanos ao longo dos seus mais de 60 anos de carreira. Com seu estilo próprio, criou diversos bordões onde rapidamente ele pode ser reconhecido. Quatro e Quaraquaquá. reguenquela do horário e beijinhos nas crianças são algumas delas, que serão sempre lembradas. Ivan deixa um enorme legado para o rádio do Nordeste! Os momentos ao lado dele ficarão eternizados em nossa memória e nossos corações. 

Nota da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT)
"A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT) manifesta seu pesar pela morte do radialista Ivan Bulhões, neste sábado (20), em Caruru-PE.
Ícone do rádio nordestino, de seus 91 anos de vida, 60 foram dedicados à radiodifusão. Ivan Bulhões passou por todas as emissoras AM da região. Foi considerado funcionário vitalício da Rádio Liberdade de Caruaru e chegou a ser comparado com Chacrinha. Graças a seu talento e criatividade, o amor pelo rádio ganhou espaço na vida de milhares de ouvintes.
Neste momento de profunda consternação, a ABERT se solidariza com a família, os amigos e os fãs do radialista, que deixou um rico legado à comunicação do país.
 

sábado, 20 de março de 2021

CANTOR EVANGELICO, IRMÃO LÁZARO MORREU POR COMPLICAÇÃO DO COVID-19.

O vereador de Salvador-BA, Irmão Lázaro morreu nesta sexta-feira (19/3) em Feira de Santana, onde estava internado em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital. O parlamentar estava no hospital há cerca de um mês por conta das complicações causada pela covid-19. A informação da morte de Lázaro foi confirmada por sua filha nas redes sociais. 

"Hoje a pessoa mais importante da minha vida se foi, o homem que eu mais amei e continuarei amando o resto da vida"., anunciou a filha do político e artista gospel.

O estado de saúde de Irmão Lázaro piorou nos últimos dias. Nesta sexta-feira (19/3), mais cedo, a assessoria do pastor informou que o quadro seguia muito delicado.

Ele estava internado desde 25 de fevereiro. E precisou ser intubado por causa das complicações causada pela doença.

Irmão Lázaro tinha 54 anos e iniciou sua carreira como cantor da banda Olodum. Posteriormente, ele se converteu e consolidou sua carreira artística na música gospel. Ex-deputado federal e ex-candidato ao Senado, o política estava em seu primeiro mandato na Câmara Municipal de Salvador.
Fonte: JC.

CIRO GOMES É INVESTIGADO PELA POLÍCIA FEDERAÇ APÓS CRÍTICAS A BOLSONARO.

O ex-ministro Ciro Gomes virou alvo da Polícia Federal (PF) após tecer críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Um inquérito foi instaurado pela instituição, que investiga uma suposta prática de crime contra a honra. O documento foi assinado pelo próprio Bolsonaro e conduzido posteriormente pelo ministro de Justiça e Segurança Pública, André Mendonça. 

O inquérito cita uma entrevista concedida por Ciro Gomes, em novembro do ano passado, à “Rádio Tupinambá”, de Sobral/CE. 

Na ocasião, Ciro chamou Bolsonaro de “ladrão” e citou o caso da “rachadinha”, no qual o filho do presidente, o senador Flávio Bolsonaro, está sendo investigado. 

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Bolsonaro, Sergio Moro, também foi citado durante a entrevista. 

"Qual foi o serviço do Moro no combate à corrupção? Passar pano e acobertar a ladroeira do Bolsonaro. Por exemplo, o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), que descobriu R$ 89 mil desse (Fabrício, ex-assessor de Flávio Bolsonaro) Queiroz, que foi preso e é ladrão, ladrão pra valer, ligado às milícias do Rio de Janeiro. E onde estava o senhor Sergio Moro? Acobertando", disse Ciro, na época. 

Ao Estado de S. Paulo, Ciro disse que foi informado do inquérito há 10 dias e que está “pouco ligando” para as investigações. 

O caso está nas mãos da Justiça Federal do Distrito Federal. 
Fonte: Diário de Pernambuco.

MINISTÉRIO PÚBLICO E TRIBUNAL DE CONTA DA UNIÃO PEDE AFASTAMENTO DE BOLSONARO DA GESTÃO DA PANDEMIA.

A medida também é estendida aos ministros da Saúde, Casa Civil, Fazenda e outra autoridades que a Corte de Conta venha identificar como responsável pela atual situação caótica no atendimento público de saúde da população, durante a pandemia da Covid-19.
O Ministério Público (MP) junto ao Tribunal de Conta da União (TCU) apresentou representações nesta sexta-feira (19/3), pedindo o afastamento temporário do presidente Jair Bolsonaro das funções e competências administrativas relacionadas à pandemia de covid. 

A peça é assinada pelo subprocurador-geral Lucas Furtado e se baseia na Lei Orgânica do TCU que permite ao tribunal afastar temporariamente o gestor público em caso de indícios suficientes de que sua manutenção no cargo pode dificultar auditorias ou causar prejuízos aos cofres públicos.

No lugar de Bolsonaro, Furtado pede o reconhecimento da 'legitimidade, competência administrativa e autoridade' do vice-presidente Hamilton Mourão para nomear substituto para os cargos das autoridades afastadas e comandar a execução de políticas públicas de saúde do governo federal durante a crise da covid.

"Em face da inegável urgência do caso em exame, de cuja existência não poderia haver evidência maior do que a instituição de esquema emergencial para atender a alta da demanda por enterros, bem como a implantação de hospitais para catástrofes, fazem-se presentes as condições necessárias e suficientes para que seja adotada medida cautelar determinando o afastamento das autoridades acima mencionadas, bem como outras que o TCU vier a identificar, incumbindo-se ao Vice-Presidente da República, Hamilto Mourão, a responsabilidade por conduzir as políticas públicas relacionadas à prestação de serviços de atendimento à saúde da população", cobrou Furtado.

Segundo o subprocurador, após tantas vidas perdidas para a covid, 'o mínimo que se espera seria uma atuação concentrada visando economia de escala e a proteção de todos os brasileiros'. No entanto, Furtado afirma o que se tem visto é uma 'atuação central em desencontro das orientações dos organismos internacionais de saúde'. 

"Não se discute que toda estrutura federal de atendimento à saúde, com recursos financeiros, patrimoniais e humanos, terá representado inquestionável prejuízo ao erário se não cumprirem sua função de atende à população no momento de maior e mais flagrante necessidade. É inaceitável que toda essa estrutura se mantenha, em razão de disputas e caprichos políticos, inerte diante do padecimento da população em consequência de fatores previsíveis e evitáveis", frisou.

Não há prazo para o TCU avaliar a representação, que deverá ser distribuída a um dos ministros da Corte de Contas. O relator pode decidir em caráter liminar e de forma monocrática ou levar a representação para o plenário do tribunal.
Fonte: JC.

terça-feira, 16 de março de 2021

GOVERNO FALHOU EM NÃO FAZER CAMPANHA PELO USO DA MÁSCARA E CONTRA AGLOMERAÇÃO.

 Recentemente, Bolsonaro tem tentado recalibrar seu discurso.
O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta segunda-feira (15/3) que o governo federal deveria ter adotado desde o início da pandemia uma campanha de conscientização da população pelo uso de máscaras e contra aglomerações. Ele disse ainda que foi uma "falha" da administração federal não ter promovido esse tipo de ação.

"Eu julgo que nós deveríamos ter, desde o começo, tido uma campanha em nível federal - uma vez que as medidas locais pertencem aos gestores e isso é inconteste - mas uma campanha séria de conscientização da população. Não é uma questão de lockdown ou não lockdown, mas uma questão das pessoa entenderem que elas têm que se resguardar o máximo possível, evitando, vamos dizer, aglomerações com gente que desconhecem", declarou Mourão.

"Uma coisa é você estar em reunião em família que todo mundo você sabe de onde veio, se teve doença, se não teve doença, se teve contato, se não teve contato. Outra coisa é você ir para ambiente onde não há nenhum tipo de controle. E isso a gente deveria ter falado o tempo todo. Assim como as próprias questões mais elementares, do uso de máscara, de lavar as mãos, do uso do álcool. Acho que isso foi uma falha nossa aqui do governo que a gente podei ter trabalhado melhor", afirmou. 

Questionado por que o governo cometeu essa falha, Mourão responsabilizou a área de comunicação do governo, a qual chamou de "claudicante." 

"Essa questão da comunicação social, desde o começo do governo, tem sido claudicante. Essa é uma realidade, o governo tem inúmeros fatos extremamente positivos, que ele é incapaz de conseguir comunicar de forma organizada para a sociedade", disse.
Fonte: Folha de Pernambuco.

Pesquisar este blog