terça-feira, 31 de março de 2020

EFEITOS DA CRISE DO CORONAVÍRUS: MICROEMPREENDEDORES E PEQUENAS EMPRESAS SOFREM COM COMÉRCIO FECHADO.

Isolamento e quarentena para evitar maior propagação do vírus são recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS), mas também causam problemas.
Imagem Ilustrativa.
Áudio.

Pouco mais de um mês após a confirmação do primeiro caso do novo coronavírus no Brasil, microempreendedores começam a sentir ainda mais os efeitos da pandemia. Para evitar aglomerações e a possibilidade de o vírus se espalhar mais rapidamente, governadores e prefeitos restringiram a circulação de pessoas e o funcionamento do comércio em shoppings, lojas de rua e salões de beleza, por exemplo. 

Francielson da Silva Lima, 32 anos, é dono de um salão de beleza no Distrito Federal. Ele trabalha com outros dois funcionários, que foram dispensados, já que o espaço está fechado desde o último decreto do governador do DF, Ibaneis Rocha. O microempreendedor afirma que não pode pagá-los durante a quarentena, pois trabalham em regime de comissão e, se não há clientes, não há dinheiro. 

Quando questionado sobre o que fará para se sustentar e manter o negócio caso o governo amplie o decreto, ele responde: “Deus proverá”. Francielson tem incerteza quanto ao futuro. 

“Se decretou que fechou o comércio, então não é que diminuiu o trabalho, acabou o trabalho. Não tem trabalho. Eu tinha, aproximadamente, de 150 a 200 clientes por mês, dependendo do fluxo. Quanto mais tempo ficar fechado, mais prejuízo a gente vai ter, porque como vamos arcar com as nossas despesas, né?”. 

Depois de o Governo Federal anunciar um financiamento para socorrer pequenas e médias empresas a expectativa agora é de que novas medidas ocorram para ajudar os microempreendedores individuais (Mei), e as microempresas, como a de Francielson. 

De acordo com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), são 9,7 milhões de MEIs e 7,5 milhões de microempresas, o que totaliza cerca de 17,2 milhões de micronegócios, em todo o país. 

Enquanto o governo não anuncia algum programa para esse setor, Alexandre Arci, economista, diz que o momento é de reflexão. Ele aconselha trabalhadores, famílias e empresários a reverem o orçamento e se prepararem para momentos de crise, como este causado pela pandemia do coronavírus. 

“O cidadão brasileiro e mundial tem que se preocupar com educação financeira, em sempre ter uma reserva de emergência, se preocupar em não ter dentro do orçamento desperdício. Tem que tem um fundo de emergência para que atravesse momentos como esse, caso ocorram, como menos trauma, menos risco e menos dor”. 

Os decretos que proíbem aglomerações e o funcionamento de diversos estabelecimentos não afetam, apenas, os comerciantes que tiveram de fechar as portas. A pandemia do novo coronavírus prejudica, também, os chamados serviços essenciais, como aqueles do ramo de alimentação. 

É o caso de Luísa Rodrigues. A empreendedora é dona de uma padaria, que tem 26 colaboradores. Duas funcionárias, inclusive, tiveram as férias adiantadas por fazerem parte do grupo de risco. Luísa sugere que os boletos tivessem seus prazos de pagamento prorrogados, pois com a queda nas vendas, há menos dinheiro para pagar os fornecedores e as despesas com água e luz, por exemplo. 

Mesmo aberta, a padaria já registra prejuízos que vão impactar em quase 50% do faturamento mensal. Segundo ela, as vendas caíram bastante, porque há menos pessoas nas ruas. Por enquanto, o serviço de entrega não dá os mesmos resultados. Apesar disso, ela não tem intenção de demitir nenhum funcionário. 

“As pessoas têm ficado mais em casa. O movimento diminuiu bastante. Em termos financeiros, diminuiu mais de 40% das vendas. Isso dá mais ou menos cinco mil reais por dia. No final do mês vão ser 150 mil a menos na venda. Se continuar nesse ritmo a gente vai ter um prejuízo muito grande”. 

Para tentar diminuir o impacto na economia brasileira, o Banco Central anunciou, na última sexta-feira (27/3), uma linha de crédito emergencial de R$ 40 bilhões para que pequenas e médias empresas consigam quitar as folhas de pagamento pelos próximos dois meses. 

O programa se destina exclusivamente para pagar o salário dos funcionários das empresas que faturam entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões de reais e tem, como contrapartida, a exigência de que o empresário que fizer o empréstimo não demita o funcionário no período de dois meses. O programa é limitado a dois salários mínimos mensais por funcionário, hoje equivalente a R$ 2.090. 

A expectativa do governo federal é de que a medida beneficie 1,4 milhão de empresas e 12,2 milhões de trabalhadores.
Fonte: Agência do Rádio.

Essas e outras notícias você escuta na:

Baixe o nosso aplicativo.
https://play.google.com/store/apps/details?id=com.shoutcast.stm.conexaoweb

ALERTA: GOLPE DO AUXÍLIO EMERGENCIAL DO CORONAVÍRUS.

O auxilio mal foi aprovado e criminosos já estão aproveitando para aplicar golpes.
A Polícia Federal (PF) faz um alerta para golpe do AUXÍLIO EMERGENCIAL. Criminosos estão usando o pagamento do benefício para atrair vítimas.

No golpe, a pessoa recebe uma mensagem que afirma que ela tem direito ao auxílio, de R$ 600,00 a R$ 1.200,00. Para isso, é preciso fazer um agendamento, em um site.

Os golpistas usam até a logomarca do Governo Federal e deixam depoimentos de quem já teria feito o agendamento. Por meio do site, os criminosos conseguem dados das vítimas, podendo abrir contas, fazer compras e contrair vários tipos de dívidas.

Ainda segundo a PF, cerca de 28 mil possíveis ameaças cibernéticas relacionadas ao coronavírus já foram criadas no Brasil. 

Entenda como se prevenir
1. desconfie sempre de links compartilhados em redes sociais;
2. não compartilhe sem antes saber se são verdadeiros;
3. cuidados com mensagens de urgência, que possuem prazos limitados para conseguir ofertas, pois a ideia dos golpistas é que a pessoa não tenha tempo de averiguar a veracidade nas páginas oficiais;
4. verifique no sites oficiais ou da forma que puder, com o suposto provedor da oferta; 
5. nunca preencha cadastros formulários ou pesquisas fornecendo seus dados, em links enviados por redes sociais.
6. não baixe programas piratas para o celular ou computador, porque eles têm maior concentração de vírus.
7. baixe antivírus para o celular e o computador, e mantenha-os atualizados.

PERNAMBUCO: GRUPO DE 80 EMPRESÁRIOS SE UNE E DOA 50 RESPIRADORES PARA AJUDAR INFECTADOS COM NOVO CORONAVÍRUS.

Cada aparelho custa, em média, R$ 52 mil Reais e é considerado crucial para pacientes com quadro respiratório grave; equipamentos dever ser entregues em até 60 dias.

Imagem Ilustrativa.


À medida que o mundo busca soluções para impedir o avanço do novo coronavírus, a solidariedade de 80 empresários de setores como alimento e reciclagem tem feito a diferença no estado. Esse grupo de industriais, em parceria com o segmento privado de outros estados, se uniram e compraram 50 respiradores para centros de saúde locais. A previsão é que os equipamentos cheguem em até 60 dias. 

O presidente da Lorenpet, Marcelo Holanda Guerra, é um dos empresários que participou da mobilização. Responsável por uma indústria de reciclagem de garrafas pet, Guerra conta que entrou nessa corrente do bem por acreditar que essa luta é de todos. “Nosso principal objetivo é salvar vidas. Não há prioridade e importância maior que a vida nesse momento”, afirma. 

Cada aparelho custa, em média, R$ 52 mil. O equipamento é considerado crucial porque um dos sintomas da Covid-19 é a dificuldade em respirar, o que exige intervenção mecânica para preservar a vida do infectado, especialmente em casos graves. 

“Essa é uma pandemia que se alastra assustadoramente. Por isso, toda e qualquer medida para combatê-la tem sua importância. A nós, coube dar condições de um tratamento que, certamente, salvará vidas”, diz Celso Maia Duarte, presidente da Cipan Alimentos, companhia que produz alimentos derivados do trigo e emprega 700 funcionários. Ele também faz parte do grupo de industriais que contribuiu para a compra dos aparelhos. 

“Sinceramente, gostaria de ouvir dos hospitais beneficiados que, em virtude de terem encontrado a cura, não precisaram usar o equipamento. Mas, independentemente disso, esperamos que seja muito útil para àqueles que precisarem e que salve muitas vidas”, espera Duarte. 

Assim como os empresários, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) têm adotado medidas para atender a demanda por equipamentos e insumos de saúde. A instituição abriu um Edital de Inovação para a Indústria, que prevê, por exemplo, a recuperação de aparelhos danificados e a aquisição e produção de materiais essenciais para o enfrentamento da crise, como álcool em gel e máscaras. 

“A nossa atuação será no suprimento de problemas, como os testes rápidos para a detecção da doença. No isolamento, ter uma gama ampla desses testes vai ser de grande importância, bem como a fabricação de ventiladores (respiradores). Estamos focando em ações do Sistema Indústria que vão ao encontro das necessidades da sociedade, do país e da indústria brasileira”, afirma o diretor de Educação e Tecnologia da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Rafael Lucchesi, que reforça a importância de “salvar vidas”. 

A educação também tem sido aliada nesse período em que milhões de brasileiros precisam ficar confinados dentro de casa. Por isso, o SENAI abriu vagas gratuitas em cursos a distância voltados à indústria 4.0, que inclui temas ligados à tecnologia. Também será possível aprender mais sobre Inteligência Artificial, com aplicações na indústria, e programação móvel para Internet das Coisas (IoT). Os cursos têm carga horária de 20 horas e estarão disponíveis até junho. Para ter acesso aos cursos e às vagas, basta acessar a plataforma Mundo SENAI e fazer um cadastro simples. 

Em relação aos cuidados com a saúde dentro das fábricas, o setor redobrou as medidas de prevenção e vigilância para impedir a disseminação do novo coronavírus entre os trabalhadores, principalmente os que não estão em isolamento. O SESI lançou uma cartilha online que traz recomendações que vão desde como identificar casos suspeitos, formas de transmissão e grupos de maior risco para a Covid-19, até um passo a passo para ajudar empresas a criarem planos de contingenciamento da doença e a envolverem fornecedores e operadoras no combate à pandemia. 

Para amenizar os efeitos da Covid-19 e proteger quem produz e quem consome, além do SENAI e do SESI, a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e as Federações das Indústrias dos 26 estados e do DF têm levado informação e tomado medidas para reduzir os impactos econômicos e preservar vidas por meio da campanha nacional “A indústria contra o coronavírus”. Mais informações podem ser acessadas nas redes sociais de cada instituição.  
Fonte: Agência do Rádio.

MINISTÉRIO PÚBLICO DE PERNAMBUCO MANTÉM REGIME DE TELETRABALHO ATÉ DIA 8 DE ABRIL.

A Procuradoria Geral de Justiça e a Corregedoria Geral do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) mantêm, por meio do Aviso conjunto PGJ CGMP nº03/2020, a atuação em especial regime diferenciado de teletrabalho até o dia 8 de abril. O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) reforça o canal Ouvidoria, disponível para a sociedade demandar junto à Instituição, neste período de quarentena. 

Neste período de 30 de março a 8 de abril, os servidores escalados para realização das atividades presenciais urgentes estão dispensados do deslocamento até as respectivas sedes do MPPE, devendo permanecer exclusivamente em regime de teletrabalho. As referidas atividades presenciais urgentes foram disciplinadas no artigo 5º da Portaria conjunta PGJ CGMP nº001/2020, bem como regime diferenciado de teletrabalho. 

A manutenção do regime de teletrabalho do MPPE acompanha a decisão do Tribunal de Justiça do Estado, que prorroga, em caráter excepcional, até o dia 8 de abril, a suspensão do trabalho presencial, no âmbito do Judiciário. 

Atendimento ao cidadão - A Ouvidoria, o canal entre o cidadão e a instituição, disponibiliza vários meios de acesso. Telefônico: Disque 127, das 12h às 18h; o celular (81) 9.8816.0221, das 8h às 14h. No site do MPPE, o cidadão tem a opção do assistente virtual Audivia ou o formulário eletrônico. Nas redes sociais, o MPPE mantém um perfil no Facebook: @ouvidoria_mppe.
Fonte: MPPE.

segunda-feira, 30 de março de 2020

'COMO CIDADÃO, QUERO FICAR EM CASA', DIZ PAULO GUEDES.

Ministro da Economia disse que, 'como economista', gostaria de ver a produção ativa. Ele lembrou que a recomendação da área da Saúde, diante da crise do coronavírus, é manter o isolamento social.
O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse neste domingo (29/3), durante uma videoconferência com representantes da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), que, "como cidadão" quer "ficar em casa e fazer o isolamento" diante da pandemia do coronavírus. 

Ele ressaltou que, como economista, gostaria de ver a atividade econômica se mantendo ativa no país. Guedes lembrou que a recomendação das autoridades de Saúde, do governo e da sociedade civil, é seguir com o isolamento social para retardar o alastramento do vírus

"Eu mesmo, como economista, gostaria que pudéssemos manter a produção, voltar o mais rápido possível. Eu, como cidadão, seguindo o conhecimento do pessoal da Saúde, ao contrário, quero ficar em casa e fazer o isolamento”, afirmou o ministro. 

Guedes repetiu a preocupação do governo com os efeitos econômicos das medidas de isolamento, adotadas por governadores em todo o país. O presidente Jair Bolsonaro tem afirmado que as medidas são "excessivas" e, neste domingo, caminhou pelo comércio em Brasília, gerando pequenas aglomerações e contrariando determinações do Ministério da Saúde

"Para a saúde, aparentemente, você precisa desses dois ou três meses. Então, nós estamos aí esticados, espremidos, porque mais de dois, três meses a economia não aguenta. Mas menos de dois, três meses, parece que a saúde também se precipita", disse Guedes. 

"Nós temos que estar atentos. Temos que ter respeito pela opinião dos dois lados. Vamos conversar sobre isso de uma forma construtiva", completou o ministro.
Fonte: G1

domingo, 29 de março de 2020

CASOS DE CORONAVÍRUS NO BRASIL EM 29 DE MARÇO.

Secretarias estaduais de saúde contabilizam 4060 infectados em todos os estados e 117 mortos.
As secretarias estaduais de Saúde divulgaram, até 12 horas de domingo (29/3), 4.060 casos confirmados do novo coronavírus no Brasil com 117 mortos, 84 deles em São Paulo, de acordo com a secretaria de Saúde do estado.

Em São Paulo, outras duas mortes foram confirmadas: uma por um hospital e outro por uma universidade, somando 119. Os casos ainda não forma contabilizados pela secretaria.

Piauí: Registrou a primeira morte no estado, a vítima foi o prefeito da cidade de São José do Divino. Antônio Nonato Lima Gomes de 57 anos. O estado registrou mais dois casos.

Bahia: foi confirmada na manhã deste domingo (29/3) a primeira morte por coronavírus no estado. O número de casos no estado está em 147.

Distrito Federal: Informou hoje o registro da primeira morte. O número de casos está está em 288.

Minas Gerais: Até agora nenhuma morte foi confirmada, 20 ÓBITOS suspeitos estão em investigação. O estado tem 231 casos registrados.

Rio Grande do Sul: Está com 226 casos confirmados, nenhuma morte.

Rio Grande do Norte: Tem 68 casos confirmados e uma morte.

Maranhão: tem 22 casos confirmados, nenhuma morte.

Pernambuco: 5 morte e 68  casos.

Paraná: Registrou duas mortes na cidade de Maringá.

Amazonas: 111 casos.

Mato Grosso do Sul: 31 casos

Goiás: 56 casos.

O ministério da saúde informou que o avanço da doença está acelerado, foram 25 dias desde o primeiro contágio confirmado até os primeiros 1.000 casos (de 26 de fevereiro a 21 de março). No entanto, os outros 2.000 casos foram confirmados em apenas seis dias (de 21 a 27 de março).
Fonte: G1.

sexta-feira, 27 de março de 2020

MUNDO: ITÁLIA TEM QUASE MIL MORTES CAUSADAS PELO CORONAVÍRUS EM UM DIA.

As autoridades italianas afirmaram que o número diário de mortes na quinta-feira (26/3) foi de 919, e o total no país chegou a 9.134.
O número de mortes na Itália por causa do Covid-19, a doença causada pelo coronavírus aumentou em 919, disse a agência de proteção civil nesta sexta-feira (27/3). Até agora, 9.143 pessoas morreram por conta da epidemia no país. 

É o recorde para um único dia. Antes, havia sido o 21 de março, quando 793 pessoas haviam morrido. No entanto, 50 delas são referentes à mortes de quinta-feira, na região do Piemonte, que foram contabilizadas nesta sexta-feira. 

Nos últimos dias, os números foram os seguintes:
23 de março - 602 mortes
24 de março - 743 mortes
25 de março - 683 mortes
26 de março - 712 mortes
27 de março - 919 mortes

A região mais atingida é a da Lombardia, onde fica a cidade de Milão. Lá, houve 5.402 mortes. 

No dia 22 de março, durante uma entrevista à TV RAI, o prefeito de Milão, Giuseppe Sala, afirmou que errou ao divulgar, no fim de fevereiro, um vídeo que dizia que a cidade não pode parar. 

“Muitos se referem àquele vídeo que circulava com o título ’Milão não Para’. Era 27 de fevereiro, o vídeo estava explodindo nas redes, e todos o divulgaram, inclusive eu. Certo ou errado? Provavelmente, errado”, ele afirmou à RAI no domingo (22).

AINDA NÃO CHEGOU O PICO
As infecções de coronavírus na Itália não atingiram seu pico, disse Silvio Brusaferro, chefe do Instituto Superior de Saúde do país nesta sexta-feira (27/3). 

“Não atingimos o pico e não passamos dele”, disse Brussaferro. 

Ele disso que há, no entanto, sinais de uma desaceleração no número de pessoas que estão ficando infectadas, o que sugere que o pico não está longe. Depois disso, os novos casos vão entrar em tendência visível de queda. 

“O nosso comportamento vai influenciar em quão íngreme vai ser a queda, quando ela começar”, afirmou ele, em uma referência à aderência dos italianos às restrições ao movimento impostas pelo governo.
Fonte: G1

MINISTÉRIO PÚBLICO DE PERNAMBUCO VAI ORIENTAR PARA APREENDER CARROS QUE PARTICIPAREM DE CARREATA.

A convocação para a realização de uma carreata a ser realizada em Pernambuco na próxima segunda-feira (30/3), como forma de manifestação a favor do retorno das atividades econômicas no estado, tem sido divulgada pelas redes sociais. Porém, o Ministério Público de Pernambuco informou que a manifestação vai contra as determinações impostas pela lei, já que existe um decreto em Pernambuco que proíbe a aglomeração de mais de 10 pessoas. Segundo o órgão, haverá uma recomendação para que a polícia apreenda os carros que, por ventura, participarem deste tipo de ato. 

Segundo Francisco Dirceu Barros, procurador-geral de Justiça do Ministério Público de Pernambuco, toda decisão será baseada em laudos técnicos e em consonância com o que determina a lei. "Essa convocação nos deixa muito triste, o MPPE não vai entrar em debate ideológico político, somos técnicos jurídicos, não temos capacidade de fazer uma análise econômica e de saúde. Mas estamos lastreados em laudos técnicos e temos que seguir a lei. Existe um decreto que proíbe a aglomeração de mais de pessoas, inclusive uma orientação do Ministério da Saúde e também de órgãos internacionais da saúde", explica. 

A carreata convoca empresários, comerciantes, motorista de aplicativo, profissionais liberais, além da população de uma forma geral. "Sei que é um momento de crise, estamos vivendo um estado de guerra que há danos para a saúde. As pessoas podem morrer e também podem morrer com a crise econômica, mas temos que seguir a lei. Por isso, vou recomendar aos oficias de Justiça que recomendem a polícia para apreender os carros de quem vá para a carreata. Não estou me envolvendo em polêmicas de partido, mas, enquanto chefe do MPPE, preciso fazer cumprir a lei", concluiu.
Fonte: Diário de Pernambuco.

BARCELONA ANUNCIA REDUÇÃO DE SALÁRIOS DEVIDO AO CORONAVÍRUS.

Todos os atletas profissionais do Barcelona - incluindo Leonel Messi - terão uma redução salarial obrigatória.

A paralisação do esporte começa a trazer consequências para o lado financeiro dos atletas. Na noite de quinta-feira, após uma decisão tomada pelo Conselho de Administração em uma reunião realizada por videoconferência, o Barcelona anunciou que reduzirá os salários de seus jogadores e funcionários para diminuir os efeitos econômicos da crise causada pela pandemia do novo coronavírus. 

Todos os atletas profissionais de Barcelona - incluindo o argentino Lionel Messi, eleito seis vezes como o melhor jogador de futebol do ano - terão uma redução salarial obrigatória durante o período de quarentena, que ainda não tem data para acabar. 

"A paralisia do esporte na Espanha como consequência da pandemia do covid-19 significou a interrupção de todas as atividades, esportivas e não esportivas, do nosso clube. Diante desse cenário, o Conselho de Administração decidiu implementar uma série de medidas para mitigar seus efeitos e reduzir os efeitos econômicos dessa crise", disse o Barcelona em um comunicado oficial. 

"Basicamente, é uma redução da jornada de trabalho, imposta pelas circunstâncias e pelas medidas de proteção adotadas e, como consequência, a redução proporcional da remuneração prevista nos respectivos contratos. Desejamos implementar algumas medidas, seguindo regulamentos formais de trabalho, sob os critérios de proporcionalidade e, acima de tudo, de capital", acrescentou o clube catalão, sem dar mais detalhes sobre os valores dessas reduções. 

A Espanha está em quarentena desde o último dia 14 e seus cidadãos só podem deixar as suas casas para realizar assuntos essenciais. O período de confinamento deve se estender neste fim de semana após o término do período inicial de 15 dias. 

O país ibérico é o segundo mais afetado na Europa pela pandemia atrás da Itália, com um número de mortos superior a 4 mil. Mais de 56 mil pessoas testaram positivo para o novo coronavírus.
Fonte: Notícias ao Minuto.

GOVERNO ANUNCIA R$ 40 BILHÕES PARA FINANCIAR SALÁRIO DO TRABALHADOR DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS.

Empréstimo cobrirá dois meses de folha e será limitado a dois salários mínimos por funcionários, informou o presidente do BC. Empresas não poderão demitir no período.
O governo federal anunciou nesta sexta-feira (27/3) uma linha de crédito emergencial para pequenas e médias empresas e que vai financiar salários pelo período de dois meses. 

Anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, o programa vai disponibilizar no máximo R$ 20 bilhões por mês, ou seja, R$ 40 bilhões em dois meses. 

Feito no Palácio do Planalto, o anúncio ocorre no dia seguinte à aprovação, pela Câmara, de projeto que fixa pagamento de auxílio de R$ 600,00 para trabalhadores informais por um período de três meses. 

Tanto o auxílio aos informais quanto a medida desta sexta visam aliviar a pressão financeira sobre pessoas e empresas durante a crise gerada pela pandemia do novo coronavírus, e permitir o isolamento recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para reduzir o crescimento no número de infectados pela covid-19. 

De acordo com Campos Neto, porém, o dinheiro para pequenas e médias empresas vai financiar, no máximo, dois salários mínimos por trabalhador. 

Isso significa que quem já tem salário de até dois salários mínimos continuará a ter o mesmo rendimento. Entretanto, para os funcionários que ganham acima de dois salários, o financiamento ficará limitado a dois salários mínimos. 

No caso de um funcionário que ganhe, por exemplo, R$ 5 mil por mês, vai ficar a critério da empresa complementar o valor acima de dois salários mínimos. 

Ainda de acordo com o presidente do BC:
• O financiamento estará disponível para empresas com faturamento entre R$ 360,00 mil e R$ 10 milhões por ano;
• o dinheiro será exclusivo para folha de pagamento;
• a empresa terá 6 meses de carência e 36 meses para pagar o empréstimo.
• os juros serão de 3,7% ao ano. 

Além disso, informou o presidente do Banco Central, as empresas que contratarem essa linha de crédito não poderão demitir funcionários pelo período de dois meses. 

"O dinheiro vai direto para a folha de pagamento. A empresa fecha o contrato com o banco, mas o dinheiro vai direto para o funcionário, cai direto no CPF do funcionário. A empresa fica só com a dívida", disse Campos Neto. 

De acordo como presidente, a previsão é que sejam beneficiadas pela medida 1,4 milhão de pequenas e médias empresas do país, num total de 12,2 milhões de pessoas. 

Campos Neto afirmou que o 1,4 milhão equivale ao total de pequenas e médias empresas do país com faturamento entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões por ano. 

A operação do programa será feita em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e bancos privados. 

De acordo com o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, do total de R$ 40 bilhões que serão ofertados, 75% virão do Tesouro Nacional e outros R$ 15% de bancos privados, que também serão os responsáveis por assinar os contratos com as empresas e repassar o dinheiro do financiamento direto para as contas dos trabalhadores.
Fonte: G1

MUNDO: APÓS 4.400 MORTES, PREFEITO DE MILÃO ADMITIU ERRO DE TER APOIADO CAMPANHA PARA CIDADE NÃO PARAR.

Segundo Giuseppe Sala, ninguém havia entendido a gravidade do vírus na ocasião.
O prefeito de Milão, Giuseppe Sala, admitiu que pode ter errado ao apoiar a campanha "Milão não para" que, há um mês, a iniciativa incentivou os habitantes da cidade a continuar com suas atividades normais, mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus.

Na ocasião, a região da Lombardia, na qual Milão fica localizada, tinha 250 pessoas infectadas pelo vírus, com 12 mortes. Na manhã desta sexta-feira (27/3), havia mais de 34.889 casos da doença confirmados na região, com 4.861 mortes, mais do que em qualquer outro ponto do país, que já soma 80.589 infecções, com 8.215 mortes, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins. 

mea culpa de Sala, do Partido Democrático, de centro-esquerda, foi feita durante o programa Che tempo che fa, que foi ao ar na televisão italiana no último domingo. De acordo com o prefeito da cidade de 3,1 milhões de habitantes, foi um erro defender a interrupção da vida normal, mas, há um mês, ainda não se tinha dimensão da real gravidade do novo coronavírus: 

— Muitos se referem àquele vídeo que circulava com o título #MilãoNãoPara. Era 27 de fevereiro, o vídeo estava explodindo nas redes, e todos o divulgaram, inclusive eu. Certo ou errado? Provavelmente errado — afirmou Sala. — Ninguém ainda havia entendido a virulência do vírus, e aquele era o espírito. Trabalho sete dias por semana para fazer minha parte, e aceito as críticas. 

Impulsionada por figuras como Matteo Salvini, expoente da extrema direita europeia, a campanha #MilãoNãoPara ganhou força após Roma criar, em 23 de fevereiro, um cordão sanitário ao redor de 11 cidades da Lombardia — as primeiras medidas de distanciamento social no país. Até que a Itália entrasse em quarentena no dia 8 de março, as orientações do governo central, liderado pelo premier Giuseppe Conte, e das autoridades locais eram conflitantes. 

Em seu Instagram, Sala postou um vídeo realizado por uma associação de bares e restaurantes de Milão, que incentivava a população a viver normalmente. A gravação falava sobre os "milagres" feitos diariamente pelos cidadãos, de seus "resultados econômicos importantes" e de que a população "não tinha medo". Dias depois, compartilhou também uma foto em que vestia uma camisa com o slogan "Milão não para". 

Em meio ao crescimento exponencial dos casos na região, a mais atingida da Itália, o vídeo viralizou na internet, alvo de críticas por desafiar as orientações de Roma e da Organização Mundial da Saúde — atraso que, segundo especialistas, foi fundamental para o agravamento da crise. Hoje, o país é o terceiro mais afetado pela Covid-19 no mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, que já acumulam mais de 85.996 casos, e da China, com 81.897 infecções.
Fonte: O Globo.

MUNDO: PRIMEIRO MINISTRO DO REINO UNIDO, BORIS JOHNSON TESTA POSITIVO PARA CORONAVÍRUS.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, 55 anos, testou positivo para Covid-19. Em conta oficial no Twitter, nesta sexta-feira (27/3), o primeiro-ministro confirmou o teste. Em isolamento, Johnson afirmou que vai continuar a liderar os esforços conta a epidemia.

Ele afirmou que nas últimas 24 horas ele apresentou sintomas leves e seu teste para a doença Covid-19 foi positivo.

"Agora estou me auto-isolando, mas vou continuar a lidera a resposta do governo via videoconferência enquanto nós lutamos contra esse vírus", disse.

Boris agradeceu o sistema público de saúde do Reino Unido por estar trabalhando para ajudar o país a atravessar a pandemia, e salientou que ficar em casa é fundamental para impedir o espalhamento do vírus.
Fonte: NE10.

quarta-feira, 25 de março de 2020

CANTOR XANDY AVIÕES FOI DIAGNOSTICADO COM CORONAVÍRUS.

O cantor revelou que a mulher, também foi diagnosticada com a covid-19.
O cantor Xand Avião disse que recebeu nesta terça-feira (24/3), dia do seu aniversário de 38 anos, a confirmação de que está com o novo coronavírus. Em uma série de vídeos publicados no Stories do seu Instagram, ele contou que a mulher, Isabele, também foi diagnosticada com a covid-19. 

"Desde segunda-feira (16/3), a gente fez um exame, porque a Isa sentiu um pouco de febre, nada demais, e um pouquinho de dor de garganta, e eu não senti nada. O da Isa saiu anteontem e deu positivo, o meu saiu hoje e deu positivo. O da Bebella [filha caçula] deu negativo. Bebella como sempre é diferente de tudo", afirmou. 

Ele disse que está se sentindo bem, que teve um pouco de febre, mas que os dois seguem isolados há dez dias, em quarentena. 

"Estamos de boa em casa, meu aniversário não está sendo do jeito que a gente queria (...) Eu falei que não queria fazer festa este ano, está aí ó, Deus demonstrou uma forma de não fazer festa", disse

Ele pediu para que a população fique em casa. "Eu acho que vamos conseguir frear isso [o coronavírus] bem antes do que muitos países por aí."  
Fonte: Notícias ao Minuto.

CNA DISPONIBILIZA WHATSAPP PARA PRODUTORES RURAIS RELATAREM PROBLEMAS OU DÚVIDAS EM RELAÇÃO AO CORONAVÍRUS.

Pelo número (61) 9.3300-7278, técnicos têm respondido, por exemplo, sobre pagamentos que estão para vencer e linhas de crédito emergenciais.
Reportagem: Marquezan Araújo.



Em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) disponibilizou um número de WhatsApp para que produtores rurais possam entrar em contato e relatar possíveis problemas de saúde ou que comprometam a produção no campo. O número é o (61) 9 3300-7278. 

A produtora rural Cleide Barbosa, de 64 anos, trabalha com a criação de ovinos e caprinos e mora em Alfenas, no sul de Minas Gerais. Ela já fez o uso da ferramenta e conta que teve uma boa experiência. 

“O retorno foi muito rápido. Fiquei até impressionada. Com um órgão do porte da CNA, achei que eu fosse mandar uma mensagem e ia demorar para ser respondida. Muito pelo contrário. Foi muito rápido, me deram atenção, consegui fazer um desabafo sobre os nossos problemas aqui. Achei bem interessante”, relata. 

Já o produtor rural José de Assis, de 62 anos, ainda não precisou recorrer ao aplicativo, mas se diz mais tranquilo se houver alguma dúvida. O morador de Brazlândia, no Distrito Federal, mexe com frutas e hortaliças e tem sentido no bolso os reflexos da crise. 

“Eu acho que é muito bom que os produtores tenham um canal em que é possível buscar informações que ajudem a superar a dificuldade que estamos passando no momento. Estamos tendo muitos problemas com o escoamento dos produtos. O tomate, que deveria ser vendido, em média, a R$ 130, agora é comercializado a R$ 70”, lamenta. 

O diretor-geral do Sistema CNA/Senar, Daniel Carrara, explica que todas as sugestões e pedidos de orientações enviados pelos produtores serão respondidos por profissionais técnicos, capacitados para esta atividade. Segundo Carrara, até o momento, pelo menos 3 mil produtores já fizeram contato pelo número disponibilizado pela entidade. 

“O objetivo é termos uma visão nacional dos problemas e das possíveis soluções. O problema de São Paulo, certamente não será o mesmo de Porto Velho ou de Manaus. A nossa ideia é interagir com os órgãos, sejam federais, sejam estaduais, para resolvermos e destravarmos gargalos nessa garantia de abastecimento da população brasileira”, ressalta o diretor-geral Sistema CNA/Senar. 

Carrara aponta que as dúvidas mais relatadas são sobre os pagamentos de parcelas que estão para vencer, já que as instituições financeiras estão fechadas. Além disso, os trabalhadores têm compartilhado dificuldades em comercializar produtos e, por isso, pedem linhas de crédito rural para terem capital de giro.
Fonte: Agência Rádio Mais.

EM DISCUSSÃO DO SENADO, COMPRA OU ARRENDAMENTO DE TERRAS BRASILEIRAS POR ESTRANGEIROS.

PL 2.963/2019 muda lei que condiciona aquisições a companhias nacionais com controle estrangeiro e empresas de fora com participação brasileira.

Ouça o áudio da reportagem


Reportagem Daniel Marques.

Com possibilidade de atrair investimentos para o agronegócio que podem chegar a R$ 50 bilhões, os senadores querem, por meio do PL 2.963/2019, alterar a legislação brasileira e permitir a compra ou o arrendamento de imóveis rurais por estrangeiros. Atualmente, apenas companhias nacionais com controle estrangeiro e empresas de fora com participação brasileira podem adquirir propriedades, desde que tenham autorização prévia do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). 

“É um projeto fundamental para o Brasil, permite que haja progresso, geração de emprego em um mundo globalizado e possibilita que estrangeiros possam investir no Brasil”, garante o senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), relator da matéria na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). 

A advogada Hanna Gomes, especialista em direito internacional, explica que, atualmente, o país vive uma “situação de insegurança jurídica” no que diz respeito à posse de terrenos rurais por estrangeiros. “A gente tem algumas restrições pela Lei 5.709, que é de 1971. A lei é antiga e não condiz sequer com a nossa Constituição, que é mais aberta com os estrangeiros”, pontua. 

Ainda que parte do lucro do imóvel rural utilizado por pessoas físicas ou jurídicas vá para o exterior, Hanna lembra que outra parte da riqueza produzida fica no Brasil. Isso, segundo ela, representa ganhos econômicos e sociais. “Apesar de o produto ser utilizado em sua maioria por terras estrangeiras, a gente tem a arrecadação de impostos. E a movimentação em volta daquela área rural também traz benefícios, como pequenos comércios, criação de escolas e o asfaltamento de vias”, acrescenta a especialista. 

Para o autor da proposta, senador Irajá (PSD-TO), esse incentivo a empreendimentos estrangeiros no país contribui para o desenvolvimento tecnológico nacional. “O que vem de inovação e tecnologia dos outros países vai ser uma experiência incrível com os produtores brasileiros, porque eles trazem novas técnicas que utilizam nos seus países. Essas experiências, adaptadas à nossa realidade do Brasil e ao nosso solo, serão muito proveitosas para ganhar em produtividade”, argumenta o parlamentar. 

O PL 2963/2019 prevê a revogação da lei que regula a aquisição de imóvel rural por estrangeiros (Lei 5.709/1971) e legitima as aquisições e os arrendamentos de imóveis rurais celebrados por pessoas físicas ou jurídicas brasileiras, ainda que constituídas ou controladas direta ou indiretamente por pessoas de outros países. 

O texto limita a um quarto a venda da área rural e também restringe a compra direta de imóveis localizados no bioma amazônico. A proposta restringe ainda a compra de propriedades por estrangeiros em áreas de fronteira do Brasil, em uma faixa de 150 quilômetros das divisas. Além disso, a compra de propriedades em zonas estratégicas para a segurança nacional continua dependendo de autorização do Conselho de Defesa Nacional, órgão ligado à Presidência da República. 

Dados da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio, citados em estudo do Ipea, apontam que as restrições do governo sobre aquisição e arrendamento de terras agrícolas por empresas estrangeiras geraram, apenas entre 2011 e 2012, prejuízos de cerca de US$ 15 bilhões ao agronegócio do país. Atualmente, a matéria está em análise na CCJ do Senado e ainda não tem data para ser votada no colegiado.
Fonte: Agência Rádio Mais.

terça-feira, 24 de março de 2020

BOLETIM DE SAÚDE: NOVOS MÉDICOS REFORÇARÃO ATENDIMENTO À POPULAÇÃO; SAIBA MAIS SOBRE AÇÕES DE ENFRENTAMENTO AO CORONAVÍRUS.

Nesta edição do programa, as principais informações a respeito da pandemia e das medidas que o Governo do Brasil adotou nos últimos dias.
No Boletim da Saúde desta semana vamos falar sobre as principais informações a respeito do coronavirus. Desde fevereiro o Ministério da Saúde tem apresentado todas as informações a respeito dessa doença, mas por se tratar de algo novo, é importante atualizarmos as medidas que o Governo do Brasil adotou nos últimos dias e a informações relativas à doença. 

Escute o programa clique no link abaixo.

Fonte: Agência do Rádio.
Reporter: Janary Bastos Damaceno.

segunda-feira, 23 de março de 2020

CORONAVÍRUS: GOVERNADOR DE PERNAMBUCO PROÍBE TRANSPORTE POR MOTOTÁXI E REUNIÕES COM MAIS DE 10 PESSOAS.

 
O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, anunciou no final da manhã desta segunda-feira (23/3), novas restrições por causa da pandemia do novo coronavírus. Entre as medidas estão a proibição de aglomerações com mais de 10 pessoas e a proibição do transporte de passageiros com utilização de mototáxis no estado.

Paulo Câmara ainda anunciou que o estado está repassando R$ 11 milhões para ajudar as ações de Saúde e Assistência Social dos municípios pernambucanos.

No pronunciamento, o governador também determinou a contratação de 4.729 profissionais da área de Saúde, a abertura de duas seleções públicas e o repasse de R$ 11 milhões para a Assistência Social e Saúde.

De acordo com o decreto, serão convocados 4.729 profissionais para reforçar o sistema de saúde. Serão contratados 430 médicos e 1.552 outros profissionais de diversas áreas, aprovados no último concurso.

O governador também autorizou a realização imediada de duas seleções públicas simplificadas para a contratação de 2.747 novos profissionais. A primeira seleção, para a Secretaria de Saúde tem previsão para 160 vagas pra médicos e 1.197 vagas em outros cargos. 
Fonte: NE10/Blog do Jamilgo.

CACHOEIRINHA-PE: MULHER QUASE MORRE QUEIMADA APÓS PASSAR ÁLCOOL NO CORPO

A vítima costumava passar álcool no corpo para se prevenir do coronavírus.
O acidente aconteceu na zona rural da cidade de Cachoeirinha-PE.

A dona de casa, de 43 anos, quase morreu queimada. Testemunhas informaram que a vítima costumava passar álcool no corpo para se prevenir contra o COVID-19.

Eles viram a casa em chamas e correram para socorrer. Ao chegar ao local, a mulher estava desacordada e com o corpo todo queimado.

Os vizinhos disseram que a dona da casa é fumante e acreditam que ele tenha passado álcool no corpo e acendido um cigarro, o que provocou o acidente.

A mulher foi levada para o Hospital Regional do Agreste e, por causa da gravidade dos ferimentos, foi encaminhada para o Hospital da Restauração, no Recife.
Fonte: NE10/Tv Jornal.

Pesquisar este blog