quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

APÓS REUNIÃO COM PAULO GUEDES, PAULO CÂMARA DEFENDE REFORMA DA PREVIDÊNCIA.

O governador de Pernambuco Paulo Câmara se encontrou nesta quarta-feira (6/2) com o ministro da Economia, Paulo Guedes. Após o encontro, o socialista disse que a reforma é necessária e reforçou que os estados não podem, segundo ele, promover mudanças no sistema previdenciário antes da alteração na Constituição Federal. O governador adiantou ainda que a proposta de mudanças nas aposentadorias será apresentada por Guedes no dia 20 de fevereiro. 

"Todos sabemos da necessidade de fazer reforma. O meu partido tem objeção a alguns pontos, que foram colocados lá atrás, a preocupação com essa questão da aposentadoria dos trabalhadores rurais e do BPC (benefício de prestação continuada, para idosos de baixa renda). Tudo isso a gente precisa conhecer. Mas não tem como dizer que não há necessidade de reforma. Tem e precisa conhecer. Mas não tem com dizer que não há necessidade de reforma. Tem e precisa ser feito, até porque o déficit previdenciário é muito forte. No caso de Pernambuco, foi de R$ 2,6 bilhões", afirmou o governador. 

"Evidentemente, essa conta não fecha. (A discussão tem que ser) via Congresso Nacional, porque é o fórum adequado de discussão. Os estados não podem mexer se a Constituição Federal não for mexida antes", disse. 

Segundo levantamento, o déficit de todas as 27 estados da federação pelos próximos 70 anos chegava a 1,9 trilhão, valor 3,4 vezes maior que a receita Corrente Líquida (RCL, a receita disponível) desses entes. Já o da União alcançaria R$ 1,78 trilhão ou 2,5 vezes a RCL. Especialistas e integrantes da equipe econômica acreditam que a fragilidade das contas estatais motive mais governadores a apoiar o texto, algo que não ocorreu quando o governo Michel Temer enviou a proposta, em 2016.
Fonte:NE10/Blog do Jamildo.