quarta-feira, 8 de setembro de 2021

EDITORIAL.

 7 DE SETEMBRO

O
ntem terça-feira (sete de setembro), a data que se comemora a independência do Brasil, a história dessa data todos nós já sabemos, é o dia do Patriotismo, do orgulho de ser uma nação soberana, outrora uma data lembrada e comemorada com desfiles cívicos, militares as pessoas aproveitavam o feriado para irem a praia, shows, viagens etc.

Mais ontem vimos um sete de setembro diferente, o sentimento patriótico foi deixado pra trás, no lugar ficou o sentimento político partidário, quem foi para as ruas ontem não foi defender a soberania do pais, foram para defender os políticos do país.

Nas faixas exibidas pelas pessoas nas ruas não cobravam mais educação, mais saúde, mais moradia, mais emprego, mais assistência social, de um lado (a direita) o que se pedia era o fechamento de instituições, ataques a ministros da justiça, enfim rasgar a constituição federal para manter um governo que a cada dia tem a sua aprovação cada vez mais baixa. Do outro lado (a esquerda) pedidos de impeachment do presidente da república, frases desrespeitando as autoridades constituídas, também defendo os políticos e a volta deles ao poder...

No meio desse fogo cruzada ficao povo que passa necessidades, que não tem moradia, moram onde o esgoto corre a céu aberto, não tem um trabalho digno, não podem comprar um remédio nem seque um pão. Para esses não existe sete de setembro, ainda não foram libertados vivem na escravidão da miséria e escravizados pelo sistema corrupto desse país. 

O Brasil está passando por momentos muitos difíceis, o preço dos combustíveis nas alturas, alta de preço nas mercadorias, inflação em escalada, desemprego cada vez mais aumentando, mais para os manifestantes do sete de setembro nada disso importa, e dai se tem gente enfrentando fila para pegar ossos, o importante é defender seus políticos de estimação. .
Por: Clemildo Galdino

Pesquisar este blog